Aracaju ocupa 1º lugar no Indicador de Capacidade Municipal para resposta aos eventos adversos no Brasil
04/07/2024 09:33 em Últimas Notícias

Aracaju foi classificada em primeiro lugar no Indicador de Capacidade Municipal (ICM), do Governo Federal, para gestão de riscos e desastres no Brasil. A classificação é resultado do trabalho estratégico e contínuo desenvolvido pela Prefeitura de Aracaju, para promover medidas que ampliam a resiliência da cidade frente aos ventos adversos e impactos das mudanças climáticas.

O ICM é o principal indicador de monitoramento do Programa 2318 - Gestão de Riscos e Desastres no Plano Plurianual (PPA) 2024-2027. A partir dos 20 critérios estabelecidos, a iniciativa prevê o monitoramento da capacidade de atuação dos municípios, ao longo dos próximos quatro anos.

Com 19 dos 20 critérios atendidos para a classificação no ICM, Aracaju se posiciona na faixa A das cidades prioritárias com alta capacidade de resposta. Entre os critérios atendidos estão a existência do Plano Municipal de Redução de Riscos, Mapeamento de Áreas de Risco, Cadastro ou identificação de famílias em áreas de risco, Plano de Contingência, existência de Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (Nupdec), usuário habilitado no S2iD, Sistema Municipal de Monitoramento e Alerta, medidas de drenagem urbana e mitigação de riscos de desastres, Sistema Municipal ou Conselho Municipal Intersetorial de Proteção e Defesa Civil, entre outros.

O prefeito Edvaldo Nogueira reforça o compromisso de promover uma gestão alinhada com a promoção da resiliência e redução de riscos na capital sergipana. "Desde o ano de 2022, Aracaju já faz parte do grupo de cidades do mundo que possui nível máximo de classificação na campanha "Construindo Cidades Resilientes", que é uma iniciativa global da Organização das Nações Unidas. Agora, temos mais esse resultado positivo a nível nacional, o que demonstra como o nosso Planejamento Estratégico é pensado de forma que traga desenvolvimento para a cidade, no presente e futuro, colocando também como foco as mudanças climáticas. Os nossos investimentos em infraestrutura, por exemplo, são pensados não só para levar qualidade de vida para as pessoas, mas também para lidar com as consequências dessas transformações que estão acontecendo no mundo. São obras planejadas para evitar alagamentos, deslizamentos e outros desastres que possam afetar os aracajuanos. Estou muito feliz e satisfeito com esse resultado, de atender praticamente 100% dos critérios do Indicador de Capacidade Municipal do Governo Federal, pois demonstra a efetividade do nosso trabalho", destacou.

Conforme explica o secretário municipal da Defesa Social e da Cidadania, tenente coronel Silvio Prado, o trabalho ocorre de maneira contínua, com ações intersetoriais. "Esse resultado é de grande importância para Aracaju. É um reconhecimento a todo o trabalho realizado na esfera municipal, desde 2017, para que possamos alcançar níveis de resiliência cada vez maiores, assim como para aprimorar ainda mais a capacidade de resposta, englobando todos os órgãos e setores do município de Aracaju. Esse resultado é fruto da gestão do prefeito Edvaldo Nogueira, que sempre foi um entusiasta da promoção da resiliência e da obtenção de uma resposta cada vez mais abalizada, reduzindo riscos todos os anos com obras estratégicas, de grande porte", salientou.

Para o secretário de Infraestrutura e presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Sergio Ferrari, a classificação é resultado de um trabalho bastante efetivo. "É uma vitória a gente ter conseguido essa primeira colocação no Brasil de prevenção contra riscos, porque mostra que a Prefeitura de Aracaju tem trabalhado com esforço conjunto, de uma maneira bem coordenada. A Defesa Civil coordena esse trabalho, mas é um trabalho que é feito com a coparticipação contínua e constante tanto da Emsurb quanto da Emurb. A Emsurb fazendo limpeza de canais e a Emurb fazendo desobstrução de rede de drenagem, limpeza de galerias, inclusive, recentemente nós fizemos a dragagem no rio Poxim, no bairro de Jabotiana, no Largo de Aparecida. Isso significa que é um trabalho efetivo, eficaz e é permanente, porque a gente não trabalha só na época de chuva, é um trabalho que nós fazemos de prevenção, durante todo o ano", ressalta. 

Limpeza e drenagem urbana

Além das ações convencionais de limpeza urbana e do sistema de drenagem, a exemplo dos canais, a Prefeitura de Aracaju, através da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), desenvolve ações preventivas para permitir o escoamento das águas pluviais e a retenção de resíduos sólidos, como os ecobueiros e as ecobarreiras.

O presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) Bruno Moraes, destaca que, para esse resultado, contribui a atenção concedida aos serviços de limpeza urbana e manutenção do sistema de drenagem da cidade. "Atuamos com medidas de drenagem urbana necessárias à prevenção e mitigação de riscos de desastres, com monitoramento das áreas de risco de alagamento e com a limpeza urbana como um todo. Todos os dias temos ações de limpeza de canais utilizando os métodos manuais, mecanizados e com barragem móvel, além da desobstrução de bocas de lobo para ter a segurança que em períodos de chuva as águas pluviais terão para onde escoar", frisou.

Durante todo o ano, a Emsurb realiza um processo de acompanhamento dos canais, que é a macrodrenagem, preocupando-se também com o acesso da microdrenagem, que são os bueiros. Além disso, são executadas medidas preventivas para preservar a acessibilidade das águas até a macrodrenagem, que são a instalação dos ecobueiros e as telas de contenção das ecobarreiras. Tudo isso são fatores que foram criados para que, quando se chegue a um período mais crítico, os canais e as microdrenagens estejam fluindo na sua normalidade com capacidade para escoamento das águas.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!